Get Adobe Flash player
Bookmark and Share

Olá pessoal. Meu nome é Gerson.
Pois bem, gostaria de apresentar a Inercinética, ou princípio de controle da inércia, que é a parte cinemática de uma tese de física teórica chamada Inerciatividade. A Inerciatividade é um estudo bastante abrangente dos princípios e aplicações das possibilidades do controle da inércia, ou seja, por exemplo, para poder realizar as manobras ousadas que “desafiam as leis da física e do momentum” que os ovnis realizam, tais como arrancadas e paradas abruptas com acelerações e desacelerações extremas, voo em trajetória ondulatória ou em ziguezague, curvas fechadas ou em ângulo reto em altíssimas velocidades e inversões abruptas de direção de deslocamento, os ovnis e discos voadores precisam controlar a própria inércia. E é exatamente isso de que se trata a Inercinética.
Para começar, a Inercinética, que é o princípio de controle da inércia da tese de física teórica Inerciatividade, sendo desta o seu segundo postulado, é uma técnica de propagação (propagação, não propulsão/impulsão). Ela não trata da impulsão da nave (avião ou espaçonave). Esta parte da teoria é estudada em detalhes no quarto postulado, mais precisamente no capítulo 4.4, Gravitância – tração gravitacional Inerciativa.
Sendo uma técnica de tração, a Inercinética, ou Sub-tração inerciativa, apenas modula o deslocamento da nave produzido pela impulsão (seja por foguetes ou por gravitância), ou seja, modula esta em trajetória ondulatória. Isso mesmo, através da Inercinética, para controlar a própria inércia, a nave se deslocará realizando movimento ondulatório (mais ou menos como um zigue-zague), propagando-se, portanto, assim como se propaga a energia – através de ondas. Essa ondulação na trajetória se processa transversalmente e longitudinalmente à trajetória, ou seja, a nave se move para cima e para baixo em movimentos de sobe e desce, enquanto se desloca longitudinalmente, e, dessa forma, a trajetória será uma ondulação.
Mas porque a nave precisa realizar movimentos de ondulação na trajetória para controlar a inércia? Como isso vai possibilitar que uma nave em aceleração controle a própria inércia? Bom, para respondermos isso, primeiro precisamos entender bem o que é inércia: inércia é aquela força que se sente quando você acelera o carro e sente seu corpo pressionado contra o banco; inércia também é a força que se sente quando você freia o carro e seu corpo se projeta para frente, contra o cinto de segurança; e, ainda, é a força que se sente quando você faz uma curva com o carro e seu corpo tende a se projetar para a lateral, para fora do carro. Mas isso parece pouco. Precisamos falar de situações mais extremas para entender melhor a inércia. Por exemplo, quando, a 100km/h, um carro bate, ele se amassa e (as vezes) as pessoas são arremessadas para fora, isso acontece porque a tendência dos corpos, e da própria massa do carro, é continuar em movimento, de 100km/h. Se não existisse a inércia, não haveria acidentes de trânsito, e não haveriam mortes. Mas ainda há outros exemplos: numa queda, por exemplo de uma altura de 10 metros, se uma pessoa cai, a velocidade de impacto será de 14 metros por segundo, ou 50,4km/h, o que é mais do que suficiente para matar a pessoa no impacto – isso porque a “força” de atração da Terra é de 9,8m/s2 (9,8 metros por segundo ao quadrado); numa queda de uma altura de 100 metros, por exemplo, a velocidade na hora do impacto será de 44,27m/s2 (159,37km/h) – tudo isso com uma “força” de atração de uma aceleração de 9,8m/s2, ou seja, um G. Outro exemplo: um avião de caça, por exemplo um F15, tem uma capacidade de aceleração de cerca de 12,631m/s2 (o que é equivalente a apenas 1,288 G), mas pode alcançar uma velocidade de Mach 2,5 (duas vezes e meia a velocidade do som no ar, ou seja, cerca de 828,88m/s – 2.984km/h), o que, numa colisão com um obstáculo imóvel, seria como um impacto de uma queda de uma altura de 35.053,91 metros (se não houvesse a resistência do ar e a gravidade não diminuísse com a altitude). Se o carro do exemplo anterior, bater a 100km/h, e amassar “só” 2,5 metros, a força G que o esmagaria seria de “apenas” 62,988G, ou seja, uma aceleração negativa de 617,283m/s2 – o que é mais do que suficiente para destruir o carro e matar os passageiros. No caso do avião de caça F15 (ou outro avião qualquer capaz de alcançar grande velocidade), numa colisão a uma velocidade de 2.984km/s (e o caça amassar “só” 15 metros), a força G, no momento do impacto, seria igual a 9.347,711 vezes a aceleração da gravidade terrestre (9.347,711G). No caso de uma manobra de curvatura, quanto maior a velocidade, maior deverá ser o raio da curva (distância do centro da curva até o ponto de curvatura); para um avião que pode chegar a 2.984km/h, por exemplo, o raio mínimo de curvatura seria aquele equivalente a uma força G igual a 10, pois o corpo humano pode resistir a uma força de até 10 G (com alguma dificuldade – por isso os pilotos de caça precisam usar roupas especiais, para manter o sangue bem distribuído pelo corpo, caso contrário ele desceria todo para os pés), o que daria uma raio de curvatura (para uma velocidade de 2.984km/h) de 7.010,783 metros (7,010km) – menos que isso mataria o piloto. A velocidades mais comuns para aqueles que não são piloto de avião, e sim motoristas, a uma velocidade de 100km/h, por exemplo, a força G, para um raio de curva de 150 metros (considerando um coeficiente de atrito de 0,525), seria de apenas 0,525G; mais que isso faria o carro derrapar e sair para fora da curva. Mas, se o carro se “agarrasse” na estrada, a força máxima suportada pelo corpo humano seria de 10G, o que permitiria que uma curva, a 100km/h, tivesse apenas 7,87 metros de raio. A 10km/h, apenas 7,87 centímetros, e a 50km/h, 1,968 metros. Então, viram como uma batida de carro, um voltinha de avião ou uma queda podem ser mortais? Isso se deve a inércia. E isso também vale para o oposto, ou seja, para o caso de arrancadas muito bruscas, não só para paradas muito bruscas. Por esses motivos, portanto, é que precisamos controlar a inércia.
Se uma nave espacial precisasse alcançar uma velocidade muito alta, como 10% da velocidade da luz (cerca de 30.000km por segundo – 108.000.000km/h), acelerando a uma taxa suportável pelo corpo humano a longo prazo, 1G (9,8m/s²), essa velocidade seria alcançada somente em 850,34 horas ou 35,43 dias, o que é muito tempo. Então, se torna necessário acelerar com mais intensidade, levando em consideração que o corpo humano não suporta, por muito tempo, acelerações maiores do que 1G, e por pouco tempo, maiores do que 10G. Eu imagino uma nave capaz de acelerar a 1.000.000 de metros por segundo ao quadrado (1.000km/s2), o que equivale a 102.040,8G, o que é 10.204,08 vezes maior que os 10G máximos suportáveis pelo corpo humano, e 1.620 vezes maior do que a aceleração negativa que um carro sofreria ao bater a 100km/h (considerando que o carro amassasse “só” 2,5 metros), e 10.204,08 vezes maior do que a máxima força G suportável pelo corpo humano com roupas especiais (cerca de 10G). Uma tal aceleração – 1.000km/s² – seria como arrancar violenta e abruptamente, assim como um OVNI ou Disco Voador o faz, e mataria esmagada, quase instantaneamente, qualquer possível tripulação, sem contar que até o próprio material de que a nave fosse constituída não suportaria tal aceleração (tal reação inercial), e se esfacelaria. Mas isso não é tudo. Uma nave que pudesse acelerar a 1.000km/s², alcançaria a velocidade de 10% da velocidade da luz (cerca de 30.000km/s) em apenas 30 segundos. E como uma nave dessas realizaria uma manobra de curvatura na trajetória? Certamente não adiantaria de muita coisa, se, apesar de conseguir alcançar uma velocidade tão estupenda quanto 10% da velocidade da luz, ela tivesse que quase parar para poder realizar uma curva – caso contrario a força G resultante da curvatura chegaria a, digamos, 102.040,8G (com um raio de curvatura de 900.000km, o que é 1,293 vezes maior que o raio do Sol).
Então, como fazer para que essa maldita nave possa arrancar acelerando a 1.000km/s², e fazer curvas em velocidades que gerariam uma força G igual até a 102.040,8G? Bom, meus amigos, é aí que entra a Inercinética.
Só para lembrar, a Inercinética é o princípio de controle da inércia, sendo o segundo postulado da Inerciatividade, e apresenta a sub-tração inerciativa (existe ainda a super-tração, a hipo-tração e a hiper-tração, sendo que a sub-tração é a versão mais “fraquinha” ou modesta da tração inerciativa do controle da inércia – mas é por ela que vamos começar). Pois bem, para começar, na sub-tração, a nave, que pode chegar a desenvolver uma aceleração de 1.000km/s² (102.040,8G), não acelera desde o início nessa taxa, e sim inicia a arrancada a 980m/s² (100G); para neutralizar a reação inercial da aceleração (ou força G, digamos assim), tanto em linha reta quanto em linha curva, a Inercinética imprime movimento ondulatório à trajetória da nave. No início, a primeira curva tem um raio de 20 metros, sendo a velocidade de curvatura, no início, de 140m/s, então:
Velocidade de curvatura²/raio = aceleração da força G
140²/20 = 980m/s² (100G)
A primeira curva na trajetória da nave é chamada de primeiro estágio inerciativo, e cada estágio inerciativo é uma onda na trajetória. Até alcançar a aceleração de 1.000km/s², a nave do exemplo desenvolve 4,402964893 estágios inerciativos, pois, a cada novo estágio, a velocidade, o raio de curvatura e a aceleração, aumentam numa taxa de 4,82338342 vezes, o que é chamado de Faie – fator de amplificação inerciativo por estágio – ou seja, em apenas 4,4 ondas na trajetória a nave já pode acelerar a 1.000km/s², o que demora apenas 0,62899 segundos (pois cada estágio inerciativo demora um sétimo de segundo para se completar) – e então a nave já poderá percorrer 500km apenas no primeiro segundo de aceleração, ou, ao alcançar a velocidade de 10% da velocidade da luz (30.000km/s), a distância percorrida será de 450.000km (o que dá 11,229 voltas na Terra em 30 segundos), e já poderá realizar manobras de curvatura, a uma velocidade de 30.000km/s, de raio de 900.000km – tudo isso sem que a força G de 102.040,8G (1.000km/s²) seja sentida, pois, a cada curva na trajetória, a força centrífuga acelera a nave para fora da curva, contrabalançando totalmente a reação inercial que se abateria mortalmente contra o sentido de aceleração sobre a nave e a sua tripulação.
Mas, como é que os OVNIs e Discos fazem curvas em altíssimas velocidades em curvas muito fechadas (não de 900.000km de raio) ou em ângulo reto? Bom, aí entra a super-tração inerciativa. Neste caso, o raio inicial de curvatura, a partir de velocidade de 0,5m/s (e não a partir de 140m/s), seria de apenas 0,00000025 metros (¼ de milionésimo de metro), e a nave poderia arrancar, desde o início, com uma aceleração de 1.000km/s² (o que dá aquela “forcinha” G de 102.040,8G), e a realizar curvas tão fechadas, a 30.000km/s, por exemplo, com um raio de apenas 15 metros (o que geraria uma força de “apenas” 6,12244898 trilhões de G – uma reação com aceleração de 60.000.000.000.000m/s²), e, a essa altura, a aceleração da nave, em super-tração inerciativa, não seria de apenas 1.000km/s², e sim de 60 bilhões de km/s² – sendo que a reação dessa aceleração, dessa força de 6,122 trilhões de G, não se abateria sobre a nave, pois a inerciação desta (a Inercinética posta em prática), compensaria toda a reação inercial.
Já com a hipo-tração e com a hiper-tração, a performance da nave inerciativa seria ainda melhor, pois o raio de curvatura inicial (de 20 metros para a hipo-tração e de 0,00000025 metros para a hiper-tração), não aumentaria com o aumento da velocidade; aumentaria a frequência de inerciação. Para a sub-tração, a frequência de inerciação seria sempre de 7 hertz; para a super-tração, a frequência de inerciação seria sempre 2.000.000 de hertz (2MHz); para a hipo-tração, a frequência inicial de inerciação seria de 7 hertz, e, a 30.000km/s (por exemplo), chegaria a 1.500.000 hertz (1,5MHz); para a hiper-tração, a frequência inicial de inerciação seria de 2.000.000 de hertz (2MHz), e, a 30.000km/s de velocidade, seria de 120 tera hertz (120THz). No caso da hiper-tração, quando a nave alcançasse uma velocidade de 107.500.000m/s (107.500km/s), a frequência seria de 430 tera hertz, que é a frequência em que inicia a radiação da luz vermelha – e a nave passaria a brilhar em vermelho, passando por todo espectro de radiação visível (as sete cores do arco-íris) conforme aumentasse de velocidade, e, aos 187.500.000m/s (187.500km/s), passaria a brilhar em violeta, até que, ultrapassando essa velocidade, deixaria de ser visível.
Através da Inercinética (pela sub-tração), então, uma nave poderia acelerar em linha reta a 1.000km/s², e realizar manobras de curvatura, a uma velocidade de 100km/h, por exemplo, de raio de apenas 0,7716 milímetros; a 500km/h, de apenas 1,929 centímetros; a 1.000km/h, de apenas 7,716 centímetros; a 10.000km/h, de apenas 7,716 metros; e, a 100.000km/h, de apenas 771,604 metros – sendo que todas esses manobras gerariam aquela “forcinha” de 102.040,8G, se não fosse a Inercinética, pois esta compensa totalmente a reação inercial dessas manobras. Em super-tração, hipo-tração e hiper-tração, a performance dessas mesmas manobras seriam ainda melhores.
Este é o controle da inércia aplicado à prática – a Inerciação.

O texto explicativo da Inercinética pode ser visto aqui. Muitos outros artigos, referentes a Teoria da Inerciatividade e referente a técnica de controle da inércia (tecnologia ovni) podem ser vistos no site gdmluzcinetica.wordpress.com.

Obrigado.

Nota

A Administração enfatiza a todos seus usuários, sejam ou não Membros Afiliados ou Registrados, que os artigos postados neste site, embora liberados pela Administração, são de inteira responsabilidade, no seu conteúdo, daquele(s) que o(s) postou(aram),  isentando-nos da responsabilidade pela veracidade/autoria dos mesmos.

GOOGLE FEEDS

ovni,ufo,extra terrestre - Google Notícias

Google Notícias ovni,ufo,extra terrestre - Google Notícias
  • This RSS feed URL is deprecated, please update. New URLs can be found in the footers at https://news.google.com/news

  • Minutouno.comConmoción en Rusia por un misterioso triángulo en el cielo con ...Minutouno.comNingún avión construido por el hombre puede moverse de esa manera”, aseguraron desde el canal belga en la información adjunta al video. De todas maneras, el autor del “Manual Investigaciones UFO”, Nigel Watson, salió a desmentir la teoría en ...Triángulo en el cielo anuncia el apocalipsis en RusiaLa Neta Noticiastodos os 5 artigos »

  • Blasting NewsGravado na Rússia, UFO triangular divide especialistasBlasting News... essa classe de ovnis como grandes, silenciosos, objetos triangulares negros pairando ou vagando lentamente em baixas altitudes sobre cidades e rodovias”, avaliam. Porém, além da possibilidade de nave espacial, alguns pesquisadores sugerem a chance ...e mais »

  • Folha de S.PauloSAIU NO NP: Em série de reportagens, 'NP' relatou visitas de OVNIs ...Folha de S.PauloNenhum indício ou vestígio de OVNI ou extraterrestre foi encontrado. Um oficial revelou ao jornal que se acreditava que havia "alguma coisa caída naquelas matas". Ao ser indagado se o objeto caído poderia ser um avião civil ou militar, o oficial do COE ...

  • Sputnik BrasilObjeto 'se dirigiu para grupo de combate': F-18 dos EUA parecem ...Sputnik BrasilObjeto 'se dirigiu para grupo de combate': F-18 dos EUA parecem ter enfrentado OVNI real. © REUTERS/ Mike Blake. Mundo insólito. 07:33 25.10.2017 URL curta. 64289. Os militares do porta-aviões USS Nimitz, que navegava ao largo da costa de San Diego ...e mais »

  • Sputnik BrasilQue segredos esconde Antártida? Ufólogo detecta algo de ...Sputnik BrasilUfólogo detecta algo de extraterrestre (VÍDEO). © Sputnik/ Boris Kuvshinov. Mundo insólito. 13:42 22.08.2017 (atualizado 13:45 22.08.2017) URL curta. 16196. Já conhecido por suas descobertas tão surpreendentes como originais, o ufólogo russo Valentin ...

  • Sputnik BrasilFox News mostra 'nave extraterrestre' sobrevoando Congresso ...Sputnik BrasilOs ufólogos não conseguiram passar ao lado desta ocasião e iniciaram uma investigação para determinar a origem do objeto misterioso que passou perante as câmeras a grande velocidade. O vídeo engrossou a base de dados da Rede Mútua de OVNI (Mutual UFO ...e mais »

  • Sputnik BrasilQue está acontecendo? Gigantesca nave extraterrestre parece se ...Sputnik BrasilO OVNI, segundo ufólogos, parece ser feito de materiais hiper-resistentes a temperaturas extremamente altas, porque foi detectado a uma distância próxima do Sol. O vídeo do gigantesco objeto brilhante, que pode ser um OVNI de acordo com os ufólogos ...e mais »

  • Sputnik BrasilQueda de nave extraterrestre? Exército da Noruega encontra objeto ...Sputnik BrasilO portal Section51 publicou imagens mostrando os restos de um objeto desconhecido que lembra uma nave espacial extraterrestre. Superfície de Marte. © Foto: NASA/ JPL-Caltech/MSSS. 'Parece ser um Batmóvel': usuário descobre OVNI em Marte? (FOTOS). O ...

  • Sputnik BrasilNave extraterrestre aparece em céu russo? (VÍDEO)Sputnik BrasilApós a declaração extravagante do colaborador da NASA sobre extraterrestes estarem presentes entre nós, o céu de uma cidade russa recebeu a visita de um objeto voador muito esquisito. Será que extraterrestres decidiram confirmar a teoria de Robert ...e mais »

Junte-se a nós no Facebook!

Ouça a Rádio Ufobras

Aviso Importante

Estamos tornando indisponível a opção de "Cadastramento Automático", neste site, por motivos operacionais. Os usuários que desejarem ser cadastrados, para usufruírem do conteúdo e possibilidades oferecidas, devem solicitar através do "Cadastro de Afiliação", acrescentando esta opção no campo designado "Motivo da Afiliação".

 


 

 

UFO e Paranormalidades